Bem vindo ao blog da Blog Cardiominas.

Últimas notícias

Vareniclina aumenta risco cardiovascular

Tags:, , , , , , , , .

O famoso medicamento Vareniclina (comercializado no Brasil pela Pfizer com o nome de Champix) indicado para auxiliar na cessação do hábito de fumar teve sua bula atualizada pelo FDA Americano (Food and Drugs Administration – órgão que controla e fiscaliza o uso de medicações nos EUA), pois uma série de estudos que acompanharam pacientes que utilizaram esta medicação evidenciou um pequeno aumento do risco cardiovascular.

Ou seja, apesar de ser extremamente benéfico no tratamento de quem deseja parar de fumar, e assim, diminuir os efeitos do cigarro sobre o coração, o seu uso pode estar relacionado com um pequeno (porém consistente) aumento da chance de infarto ou internações por problemas cardíacos.

A atualização da bula pelo FDA também frisa que o paciente deve iniciar a Vareniclina 7 dias antes de parar de fumar e que a interrupção do tabagismo deve ser realizado do 8o ao 35o dia de tratamento.

Postado em 28 novembro 11 por Dr. Ricardo, na Cardiologia. 111 Comments.

Qual a melhor dieta para controle do colesterol?

Tags:, , , , , , , .

Você sabe como fazer uma dieta para abaixar o seu colesterol?

Acredito que o “básico” seja de conhecimento geral, ou seja, reduzir ingestão de frituras, gorduras saturadas em geral, carne vermelha, manteiga, queijos amarelos, etc. Mas qual a MELHOR DIETA para reduzir o colesterol?

Um estudo publicado recentemente no JAMA (Jornal da Associação Americana de Medicina) comparou 2 tipos de dieta para controle do colesterol em uma população de 351 indivíduos. Metade deste grupo recebeu dieta com redução de gorduras saturadas e a outra metade recebeu dieta com alimentos relacionados como “benéficos ao coração” pelo FDA americano (órgão que controla a comercialização de medicamentos e alimentos nos EUA). No Brasil estes alimentos equivalem aos produtos que recebem o selo da SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia) que já descrevemos aqui no blog. Só para constar, estes alimentos “amigos do coração” contém grandes quantidades de aveia, proteínas da soja, trigo, fitofibratos, etc.

Vamos aos resultados: O grupo que utlizou a dieta de conhecimento popular com menos gordura saturada obteve uma redução de 3% do colesterol LDL basal, em média, menos 8mg/dl. E o grupo que utilizou uma dieta à base de produtos “amigos do coração” obteve uma redução de 13,8% do colesterol LDL basal, em média menos 26mg/dl.

Vou confessar que tal resultado me surpreendeu, pois acreditava muito mais em uma dieta pobre em gordura para redução do colesterol LDL do que os produtos lançados para tal fim. Mas devo me render e dizer que estes produtos realmente funcionam!! E agora isto está comprovado cientificamente. Clique neste link e imprima a relação completa de produtos aprovados pela SBC.

Postado em 2 novembro 11 por Dr. Ricardo, na Cardiologia. 139 Comments.

Campanha PulsAção – Previna-se da FA

Tags:, , , , , , , , .


A SOBRAC (Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas) lançou a campanha PulsAção: sentindo o ritmo do seu coração para divulgar mais informações à população sobre a fibrilação atrial (FA). A idéia é esclarecer os riscos da FA e criar estratégias para o seu diagnóstico precoce e assim, instituir o tratamento adequado o mais rápido possível.

Cerca de 10% das pessoas com mais de 75 anos são portadores de FA, e pelo menos, metade deles, não sabe que tem esta arritmia. Só para termos um idéia, a FA é responsável por 80% (!!) dos AVCs isquêmicos. Este risco tem como ser reduzido em até 10x com o tratamento adequado para a arritmia.

Quem deseja saber mais sobre a campanha deve acessar o link: www.ritmodocoracao.com.br

Postado em 12 outubro 11 por Dr. Ricardo, na Cardiologia. 125 Comments.

Apenas 15 minutos de exercício por dia!!

Tags:, , , , , , , , , , .

Estudo publicado recentemente na revista LANCET mostrou que apenas 15 MINUTOS de exercício físico de moderada intensidade por dia são suficientes para reduzir o risco cardiovascular.

“Exercícios de leve intensidade reduziram a mortalidade geral em 14% (!!)”. O benefício dos exercícios foi significativo, mesmo sem atingir a meta recomendada de 150 minutos por semana.

O estudo avaliou 416.175 pessoas na Tailândia (199.265 homens e 216.910 mulheres) entre 1996 e 2008. Estes indivíduos foram acompanhados por uma média de 8 anos, e foram categorizados em 4 níveis: inativos, levemente ativos, moderadamente ativos e altamente ativos, de acordo com a quantidade de exercícios semanais que praticavam. Para cada grupo foi calculada a expectativa de vida e mortalidade.

A carga de exercícios praticada pelo grupo de pessoas “levemente ativas” foi de 92 minutos por semana, ou 15 minutos (em média) por dia. A mortalidade geral caiu 14% neste grupo, e a expectativa de vida foi 3 anos maior do que o grupo inativo.

Outro achado interessante: a cada incremento de 15 minutos de exercício por dia observou-se uma redução de 4% na mortalidade geral.

Por isso, mantenho a minha recomendação: “Primeiro: nunca é tarde demais para se exercitar (mesmo para pacientes idosos que nunca praticaram exercícios) / Segundo: Regularidade é fundamental (tem que fazer exercício DIARIAMENTE) / Terceiro: Não importa a hora que vc chega em casa, sempre há um tempinho para se dedicar ao exercício”

Postado em 14 setembro 11 por Dr. Ricardo, na Cardiologia. No Comments.

AAS previne infarto?

Tags:, , , , , , , , , , , .

Muitos estudos publicados recentemente questionam o uso rotineiro do AAS (Aspirina) na prevenção de infarto.

No consultório, ouço muitos pacientes dizerem que tomam AAS para “ralear” o sangue, e assim prevenir o infarto. Esta afirmação tem fundamento?

Para os pacientes que já tiveram algum evento cardíaco coronariano (infarto, angina, os que já fizeram angioplastia ou cirurgia cardíaca de ponte de safena) o uso do AAS é OBRIGATÓRIO e previne SIM a ocorrência de novos eventos.

Para os pacientes que NUNCA tiveram nenhum evento cardíaco coronariano, o uso de AAS é questionado, porém algumas afirmações são verdadeiras e podem ser ditas:

1- AAS em homens diminui infarto, mas não AVC (derrame cerebral)

2- AAS em mulheres diminui AVC, mas não infarto

3- O uso rotineiro de AAS aumenta a incidência de sangramentos

4- Para saber se vale a pena usar ou não a medicação deve-se avaliar o risco de sangramento x benefício

Portanto, a velha máxima ainda vale: “Não deixe de consultar o seu médico antes de usar qualquer medicamento”. Só ele sabe o porque você deve ou não fazer uso de determinado medicamento.

Um grande abraço.

Postado em 12 agosto 11 por Dr. Ricardo, na Cardiologia. No Comments.